Notícia

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Instituto de Tecnologia em Informática e Informação do Estado de Alagoas
Terça, 11 Dezembro 2018 14:12
PRESERVAÇÃO

Em parceria com o Itec, Polícia Militar inicia digitalização de seus arquivos

Ao todo, cinco policiais militares e seis profissionais do Itec estão responsáveis por esta missão

Compartilhe:

  • Facebook
  • Twitter
Estima-se que os trabalhos devem se estender até o final de 2019 Estima-se que os trabalhos devem se estender até o final de 2019 Ascom/PMAL
Texto de Ascom PMAL

Com o objetivo de modernizar os serviços oferecidos internamente aos seus integrantes, a Polícia Militar de Alagoas, em parceria com o Instituto de Tecnologia em Informática e Informação (Itec), iniciou em dezembro a digitalização de todos os documentos arquivados em sua Diretoria de Pessoal (DP), um trabalho delicado e minucioso, mas que trará uma maior segurança e facilidade na manutenção de tais informações.

Para ter uma ideia do tamanho do desafio, o arquivo da PM conta com cerca de 30 mil pastas, sendo que em média, cada uma possui 20 páginas, o que dá um total de aproximadamente 600.000 folhas. Atualmente, em virtude deste grande acervo, a DP passa semanas para encontrar a ficha com os dados de um policial. Com o novo sistema, esse processo deve diminuir para minutos.

Contando com seis policiais militares e cinco funcionários do Itec, inicialmente está sendo feita a restauração dos documentos, já que alguns existem a mais de cem anos, após esta etapa, todos os papeis serão digitalizados e transportados para os computadores, onde ficarão organizados separadamente, de acordo com cada militar. Estima-se que os trabalhos devem se estender até o final de 2019.

Para a supervisora do Núcleo de Gerência de Documentos do Itec, Eliane Lobo, o serviço pode até parecer simples, porém, é bastante difícil.

“Todos os envolvidos tiveram que passar por um processo de capacitação fornecido por profissionais especializados do Itec na restauração e armazenamento de documentos. Por serem muito antigos, corre-se o risco de não ficarem legíveis, então é necessário ter o máximo de cuidado durante a revitalização, pois uma avaria pode complicar a vida de um militar, caso ele necessite de alguma informação contida nesses papéis”, explicou Eliane.